top of page
Search
  • Writer's pictureEquipe GW

O Panorama do Biogás no Brasil - Desafios e Soluções para o Mercado do Biogás

Neste post trouxemos uma entrevista com o CEO da GW Energia, Thiago Olinda. Nela, vamos entender aspectos como o panorama do biogás e biometano no Brasil, o potencial de mercado e as soluções oferecidas pela GW.


Como você analisa o biogás no Brasil, em relação a geração de energia através do biogás e produção de biometano?


Thiago Olinda - CEO, GW Energia

Thiago Olinda: Eu visualizo este cenário como promissor. Isso porque, o Brasil tem um grande potencial de produção de biogás, por ser um grande produtor de alimentos, ter grande extensão territorial e populacional que gera um alto volume de resíduos sólidos, além dos resíduos deixados pela agroindústria, indústria de produção de alimentos e cadeia de produção de proteína animal. Todos estes resíduos são a matéria-prima da produção de biogás.

Segundo levantamento da Associação Brasileira de Biogás, hoje só é aproveitado aproximadamente 2% de todo o potencial de produção do biogás. Isso abre uma grande oportunidade em todos estes setores que deixam resíduos. E do que se tem aproveitado, a maior parte da aplicação do biogás é para a geração de energia elétrica, mostrando que nosso país já possui uma cultura de desenvolvimento de projeto para o setor.

Este cenário de custos elevados para a aquisição de combustíveis fósseis, impactado também por aspectos internacionais, e de escassez hídrica, impõe a necessidade de nos reinventarmos enquanto mercado interno para desenvolver novas fontes. Ou seja, o uso de energias de fonte renovável já era um caminho que estava sendo trilhado e cenário atual contribui ainda mais para a intensificação dos esforços nesta área. Isto vale para o uso do biogás na geração de energia elétrica, como também para o uso do biometano como biocombustível livre da influência de variáveis externas.

Para se ter uma ideia das vantagens de utilização do biogás na geração de energia elétrica, podemos citar que ele: 1. Permite que possamos definir os horários de geração de energia; 2. Entrega uma geração de energia de modo constante e regular, sem interrupções no fornecimento; 3. Possui um fator de capacidade elevado, entregando acima de 85%. Ou seja, é uma excelente opção e em abundância no país.


Falando sobre a utilização de biocombustível, percebemos o quanto o etanol representou uma inovação desassociada do petróleo no Brasil. Existe um caminho para o biometano ser um inovação concorrente ao GNV?

T.O: O proálcool surgiu em resposta a uma crise do petróleo, como uma alternativa de blindagem ao mercado externo. Do mesmo modo, em decorrência de conflitos anteriores entre Ucrânia e Rússia, que dificultaram o acesso europeu ao gás russo, o biogás foi visto como uma alternativa por países como Alemanha, Itália e Reino Unido, que incentivaram sua produção. A Alemanha, por exemplo, possui hoje cerca de dez mil plantas de biogás.

Em nosso caso, a identificação da biomassa disponível no país e sua modelagem técnica, o estabelecimento de uma rota tecnológica que garanta a eficiência da planta, e o encontro dos parceiros adequados - fornecedores, investidores e usuários, são os aspectos mais desafiadores para tornar o biometano uma alternativa ao GNV.


Quais os desafios podem ser encontrados para algum desses parceiros que está querendo entrar no mercado do biogás, através do seu aproveitamento como energia ou biocombustível?


T.O: O desafio para quem possui biomassa está relacionado ao conhecimento técnico da produção. Isso porque, as questões técnicas envolvem as expertises no tratamento da biomassa, operação do sistema biológico de biodigestão, tratamento do biogás e operação dos equipamentos que farão a aplicação final - gerador de energia ou refinaria de biometano. E principalmente, normalmente não tem dimensão do potencial de produção e dos custos envolvidos na implementação de uma planta de biogás.

Do outro lado, temos aqueles que não possuem biomassa, por exemplo, uma empresa do setor elétrico que quer investir em uma planta para a geração de energia ou uma empresa do setor de combustível que quer produzir biometano para comercializar com seus clientes. Este grupo possui desafios semelhantes ao dos produtores de biomassa, somados ao fato de não possuírem matéria-prima. Assim, os desafios estão na identificação dos locais com oferta de biomassa, expertise técnica, dimensão financeira e estratégia logística.


Considerando o potencial de biogás não aproveitado e os desafios enfrentados pelas pessoas que querem entrar no ramo, como a GW Energia atua? Quais as soluções oferecidas pela GW Energia?


T.O: O propósito da GW Energia é contribuir para o desenvolvimento do mercado do biogás colando as plantas de pé. Por isso, nós atuamos de ponta a ponta na cadeia do biogás, trabalhando desde a identificação da biomassa, elaboração técnica do projeto, até a definição de um plano estratégico de entrega do produto. Assim, nós possuímos um trabalho ativo e contínuo de mapeamento de mercado onde identificamos as oportunidades.

Trazendo um exemplo, no setor de resíduos sólidos e urbanos, onde estão os aterros, nós possuímos um banco de dados próprio com mais de cinco mil empreendimentos mapeados no Brasil. Neste banco, temos identificados quais os empreendimentos, operadores, volume de resíduos e os grupos que administram este empreendimento. Este é um trabalho de inteligência de mercado que permite a identificação de um potencial e seu detalhamento técnico.

Com isso, entregamos a melhor rota para a atender o desenvolvimento de uma planta de biogás em determinado projeto, os custos associados de CAPEX e OPEX, além das oportunidades de financiamento deste projeto. Este conjunto de soluções compõem nosso estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental. Uma vez que ele seja viável, entregamos um plano de negócio que consolida todas as informações anteriores, definindo como o projeto será monetizado e a relação entre os parceiros.

Após isso, o projeto entra em sua fase de implantação com os parceiros executores selecionados. Neste ponto, é importante destacar que não temos como foco a venda de equipamentos ou a execução das obras. Nosso foco é a estruturação e apoio técnico e regulatório para a viabilização do projeto.


Qual recado você daria para todos aqueles que se interessaram pelo mercado do biogás?


T.O: Gostaria de compartilhar que na GW Energia, nós somos apaixonados por desenvolver projetos na área de energias renováveis. Dentro deste campo, foi uma escolha trabalhar com o biogás por todos os potenciais e vantagens que ele oferece. Assim, nos colocamos à disposição para quem queira desenvolver um projeto ou até mesmo conhecer um pouco mais!


Comments


bottom of page